Homem diz ser dono de área da UnB do Gama e constrói cerca particular

0
2

Ele diz que comprou área em 2000 e entrou com pedido de despejo na Justiça. Terracap diz que área é pública e que foi cedida oficialmente à universidade.

Uma cerca particular começou a ser construída em uma área dentro do campus da Universidade de Brasília (UnB) no Gama, a mando de um homem que diz ter comprado o terreno em 2000. Em entrevista à TV Globo na tarde desta segunda (28), o suposto proprietário, que se identificou como Orcalino Enéias, afirmou que pediu à Justiça uma ordem de despejo da universidade. Ele não permitiu que fossem feitas cópias dos documentos apresentados.

Em nota, a Terracap afirmou que a área é pública e foi cedida oficialmente à UnB. A Agefis não informou o que vai ser feito com a cerca.

O diretor do campus, Alessandro Borges, se disse surpreso com a obra. “O terreno foi doado à UnB, teve um termo de doação do governo do DF, via Terracap. Temos toda a documentação desse terreno, mesmo porque quando você faz uma obra pública você precisa ter toda a documentação. Estamos tranquilos com relação a isso.”

Várias árvores foram arrancadas para a construção da cerca. As pessoas que se dizem donas do terreno fizeram a base de concreto, jogaram cimento no chão e ainda colocaram uma placa que indica que o espaço é propriedade particular. “A polícia veio, nada aconteceu. A gente quer o mínimo de estrutura aqui, e o que mais tem é dificuldade’, diz o estudante Lucas Leitão.

A UnB afirma que pretende usar o espaço de 37 hectares para construir mais instalações do curso de engenharia. “É um prédio que serviria para o laboratório de pesquisa, principalmente para o desenvolvimento das pesquisas dos professores. Isso praticamente inviabiliza a Universidade de Brasília aqui no Gama”, diz o professor Rafael Morgado.

Os estudantes dizem que esperam há dois anos pelo licenciamento ambiental para a obra do estacionamento. A cerca foi feita sem burocracia, da noite para o dia. “Um particular vem e constrói no nosso campus, em um prazo de duas, três semanas, o que a gente demorou dois anos e meio para começar a construir. Isso é um absurdo e mostra que a legislação é muito falha”, disse o presidente do diretório acadêmico, David Dobkowski

Assista à reportagem do G1. Clique aqui!

G1 DF – 28/09/2015 20h16 – Atualizado em 28/09/2015 20h16

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA