Cidade Ocidental: PME é aprovado no mesmo dia do pedido cassação da prefeita

0
11

PME foi alvo de golpe da prefeitura da cidade, que alterou o texto proposto por uma comissão oficial e especialmente criada para a tarefa, retirando pontos importantíssimos para a população

O Plano Municipal de Educação- PME da Cidade Ocidental, que prevê metas e prazos para implementar diversas transformações positivas no ensino da região pelos próximos dez anos, foi aprovado na Câmara Municipal com 12 emendas na última terça-feira (15). O PME foi alvo de golpe da prefeitura da cidade, que alterou o texto proposto por uma comissão oficial e especialmente criada para a tarefa, retirando pontos importantíssimos para a população. Graças à organização dos representantes de entidades e do sindicato dos servidores (Sindserco), a adulteração da prefeita Giselle Araújo foi descoberta e alertada aos vereadores, que, em ação conjunta com membros da comunidade, propuseram emendas para que o texto voltasse a seu propósito original.

“A aprovação do PME com as emendas foi uma grande vitória para a classe trabalhadora, a juventude e toda a população da Cidade Ocidental. Apesar do processo ter sido mais longo do que em outros lugares (que não tiveram que lidar com golpismo da parte de suas lideranças), consideramos que esse é um grande passo para o futuro do município”, avalia o presidente do Sindserco, Osman Telles.

De acordo com o sindicalista, para que o PME passe a ser lei o documento precisa da sanção da prefeitura. Caso a prefeita não assine no prazo, o presidente da Câmara Legislativa pode garantir a vigência do PME como lei.

“Agora, estamos nos mobilizando no processo de cassação da prefeita. A alteração indevida do PME não foi a primeira ação centralizadora e golpista de Giselle Araújo. Em 2014 ela alterou um Projeto de Lei às costas dos trabalhadores, que trazia diversos prejuízos para as categorias como alterações nos planos de carreiras e precarização do trabalho. Agora, foram descobertos crimes com recursos públicos que podem afastá-la do poder e abrir um novo horizonte para a cidade”, explica Osman Telles.

Esquema de corrupção

Após cinco meses de trabalho de investigação, o vereador Paulo Rogério (Pros) trouxe à tona uma grave denúncia. Com provas documentais, vídeos de carcaças de veículos da Prefeitura e entrevistas com funcionários municipais e supostos fornecedores de peças e serviços, o vereador disse ter desbaratado um dos maiores e mais longos esquemas de corrupção realizados no município de Cidade Ocidental.

Com base nas provas, Paulo Rogério apresentou na Câmara no dia 15 pedido de cassação do mandato da prefeita Giselle Araújo.

O vereador investigou e identificou sucatas de veículos jogados por anos em pátio de secretaria de Viação e Obras e que de acordo com documentos deveriam ter sido reformados. Os serviços e peças foram pagos, mas os veículos encontram-se como ferro-velho, inutilizáveis há muito tempo no pátio. Confrontando com documentos do Tribunal de Contas dos Municípios e informações de contratos de fornecimentos de peças e serviços de duas empresas, ele revelou um esquema que já deu prejuízo de mais de R$ 2,5 milhões aos cofres municipais.

“Giselle Araújo mostrou muitas vezes que não tem compromisso com a cidade e nem com a classe trabalhadora, e apoiamos esse processo de cassação por acreditar nas denúncias que foram anunciadas e que, mesmo não sendo de um partido que defende os interesses trabalhistas, teremos mais disposição política e diálogo da parte do vice prefeito, que assume o cargo com esse afastamento”, afirma o presidente do Sindserco.

Fonte: Aconteceu no Entorno – 20/09/2015 – 11:16:59

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA