Artesão do Novo Gama também assinou o look de Janja na posse

0
29
Mestre Juão de Fibra, artesão do Novo Gama
Mestre Juão de Fibra, artesão do Novo Gama
Mestre Juão de Fibra, artesão do Novo Gama, integra a equipe que assinou o look usado pela primeira-dama, Janja, na posse do presidente Lula. Confeccionou as peças, que ornaram a roupa, em palha de capim-colonhão, comum no cerrado, depois de receber o convite das estilistas Helo Rocha e Camila Pedroza.

“O capim-colonhão está em alta no Brasil e no mundo. Temos diversos catálogos que usam, a Rihanna já usou em suas peças. É uma tendência moderna”, conta ele, ao adiantar que há outras para a primeira-dama sendo confeccionadas.

LEIA TAMBEM

Valores a receber: dinheiro esquecido em bancos vai ser sacado em 2023

Noite intensa no Lago Azul: perseguição, tiroteio e prisão de bandidos; confira tudo

 

Destaque nacional e internacional

Juão da Fibra é um dos talentos revelados e apoiados pelo Sebrae. Esteve entre os vencedores do Prêmio Sebrae Top 100 de Artesanato, que é um concurso nacional.

No ano passado, foi considerado pela revista Vogue como um dos cinco artesãos brasileiros que mais valorizam a cultura local de suas origens.

Mestre Juão de Fibra é cearense, mas veio menino ainda com a família, em 1976, para o Centro-Oeste. “Meu sonho sempre foi viver de artesanato e perpetuar as técnicas que eu domino. Já capacitei mais de 5mil pessoas em todo o país”, conta o artista, que foi consultor também do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).

Helo e Camila conheceram o trabalho de Juão na comunidade Artesol, organização que reúne artesãos de todo o país, funcionando como um centro de divulgação, pesquisa e reflexão sobre políticas públicas que impulsionam o artesanato.

Patrimônio Cultural

Neste ano, o governo do estado do Goiás reconheceu o capim-colonhão como Patrimônio Cultural e Imaterial.

“Eu consigo ver o Entorno do DF como um polo de artesanato. Poderia ser uma saída para tantos problemas sociais que temos nessa região periférica”, aponta Juão.

O cultivo do capim-colonhão é relativamente fácil. “Mas precisamos de apoio e incentivo para capacitar mão de obra para trabalhar com ele”, diz o artesão.

A variedade de produtos que podem sair das tramas é imensa, como brincos, bolsas, ornamentos para roupas até acabamentos para paredes e painéis arquitetônicos originais e elegantes.

SE VOCÊ É EMPRESARIO, COMERCIANTE OU PRESTADOR DE SERVIÇO CLIQUE AQUI

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA